Skip to main content

Carrinho

Exportando cerca de 35,15 milhões de sacas por ano, a produção de café no Brasil é a maior do mundo. Além disso, de acordo com uma pesquisa encomendada pela Jacobs Douwe Egberts (JDE) em parceria com Aocubo Pesquisa, o café ocupa o segundo lugar no ranking das bebidas mais consumidas no país.

No entanto, para que o pretão passe pelo coador, exalando aquele vapor inebriante, e chegue na xícara, fazendo parte do dia a dia dos brasileiros, é necessário todo um processo de produção do café.

Desde a preparação do solo até o produto final que chega nas mãos dos consumidores, existem diversas etapas do processo de produção do café. Para acompanhar o ciclo da bebida verídica, continue a leitura do texto!

Clique para acessar a loja virtual do Moka Clube.

Plantio

O primeiro passo no processo de produção do café é o plantio. As sementes são criteriosamente selecionadas e mantidas em viveiros especiais até que estejam prontas para serem plantadas. Não muito raro, é necessário corrigir o solo para que as mudas recebam todos os nutrientes fundamentais, resultando em uma boa produção e excelente qualidade nos grãos de café.

As duas espécies principais do fruto no Brasil são Arábica e Robusta. A primeira precisa de climas amenos para se desenvolver (na faixa de 18º a 22ºC) e uma altitude de 800 a 1.400 metros. Geralmente, é recomendado o plantio entre os meses mais chuvosos, como de outubro e março.

Já para o cafeeiro de Robusta, recomenda-se que o plantio seja feito em regiões de temperaturas médias (22º a 26ºC) no período dos meses de março a dezembro.

No entanto, independentemente da espécie do grão mais brasileiro, a planta precisa de cuidados típicos, como irrigação, adubação e proteção contra pragas e ervas daninhas.

Florada

Entre setembro e novembro, a plantação cafeeira se enche de flores brancas e novos perfumes: essa é a etapa da florada do café. São elas que, se fecundadas, darão origem ao chumbinho, ou seja, o fruto do café que irá se desenvolver.

Assim começa a evolução do grão de café: do fruto verde, passando para uma coloração verde-cana até chegar a uma cor avermelhada, o que significa que os frutos maduros estão prontos para serem colhidos.

Flor de cinco pétalas brancas pequenas.

As flores do café são formadas por cinco pétalas brancas, além de um aroma inconfundível.

Colheita

Na produção do café, a colheita normalmente é realizada nos meses de maio a agosto, quando os frutos estão maduros. No Brasil, os três tipos de coleta mais comuns são de derriça, manual e a chamada “colheita mecanizada de café”. No primeiro modelo, são colocados plásticos embaixo das plantas para que, quando o grão for apanhado, ele não caia diretamente no chão.

Já a colheita manual do café requer uma grande mão de obra, sendo um método caro e demorado. Os coletores precisam selecionar os grãos maduros, caracterizados pela cor avermelhada. Já na forma mecanizada, esse trabalho é realizado por máquinas que reúnem os grãos em sacas de café.

Grãos de café no chão junto com folhas e galhos. Cores predominantes são o vermelho, com alguns tons de verde e amarelo.

Existem três tipos de colheitas mais comuns no Brasil: derriça, manual e mecanizada.

Processamento

É a etapa seguinte da colheita do café. Depois de transferido para a fábrica, o grão mais brasileiro é, em um primeiro momento, lavado e separado das pequenas impurezas do campo, tais como pedaços de galhos, folhas, pedras e terra.

Depois disso, para garantir que apenas os grãos maduros passem para a próxima etapa de produção, existe uma seleção do fruto. Essa triagem é feita de uma maneira bem simples: todos os frutos são colocados em água; aqueles que boiam, estão perfeitos; já os que afundam, ainda estão verdes.

Em seguida, é realizado o despolpamento, ou seja, em máquinas específicas são retiradas as cascas e as polpas, deixando o fruto pronto para uma fermentação que resultará em uma semente ideal para a secagem.

A secagem é feita em terreiros, o que pode demorar até três dias para atingir o resultado ideal, ou em máquinas de secagem, que atingem temperaturas de 140º C a 12,5% de umidade, fazendo com que o fruto saia praticamente seco. É depois da secagem do café que o grão fica pronto para a torra.

Torrefação

O procedimento da torrefação é pirolítico, ou seja, induzido pelo calor. É com temperaturas superiores a 140º C que a química acontece, e as proteínas, gorduras e os açúcares presentes no pretão interagem e o transformam. Essa é uma etapa importante na qualidade do produto.

O grão, no processo de torração, conta com cerca de 800 moléculas diferentes que, quando modificadas pelo calor, irão dar as notas de aromas e sabores.

Classificação

Também chamado de cupping, essa é a hora de dar nome aos bois – ou aos grãos. Especialistas definem os defeitos e as qualidades de cada café, classificando-os de acordo com padrões mundiais.

No Brasil, a classificação “tipo” é bastante utilizada. Ela separa os grãos em defeituosos e imperfeitos, podendo ser estes de natureza intrínseca, quando o grão apresenta defeito relacionado ao processo agrícola, ou extrínseca, relacionado às impurezas externas, como galhos e folhas.

Empacotamento

Depois de colhido, processado, lavado, torrado e classificado, o café é embalado para que as propriedades permaneçam intactas até a hora do preparo.

Saca cheia de sacos de café. No centro uma mesa com vários pacotes de café individuais.

O empacotamento é a etapa final antes do produto ser distribuído para os consumidores.

Aquisição

Depois que o grão está crescido e pronto, ele viaja até a casa dos brasileiros. É só comprá-lo e esperar o pretão chegar.

Moagem

Quando o café chega em casa, é hora de prepará-lo. Caso tenha comprado em grão – o que é indicado para curtir mais ainda a experiência –, é preciso moê-lo.

A moagem é outro processo químico pelo qual o café passa. Existem diversos tipos de acordo com o que se espera do resultado final do pretão. As infusões se diferenciam por características, como a presença ou não de filtro e de qual material ele é feito; quanto tempo o grão fica na água; a pressão do utensílio; entre outras.

A moagem pode ser muito fina, fina, média, grossa ou muito grossa, realizada por moedores elétricos ou manuais, com lâminas de cerâmica ou metal.

Preparo

Depois de todo o processo de produção do café, a última etapa é a mais satisfatória. Quando o líquido brasileiro verdadeiro é preparado, o aroma toma conta da casa, deixando todo mundo com água na boca. Chega a hora de encostar a barriga no fogão, esquentar a água e preparar a bebida, podendo ser feita com água filtrada ou mineral, com açúcar ou sem.

O pretão passa por diversos processos e etapas. Para conhecer mais sobre o grão de café, receber novidades, curiosidades e conteúdos exclusivos toda a semana em seu e-mail, assine já a newsletter do Moka Clube.

 

Cadastre-se no Moka e se torne um coffee lover!

* Obrigatório




Cadastre-se para receber conteúdo exclusivo e garanta o desconto em sua primeira compra.GANHE 15% DE DESCONTO EM TODOS NOSSOS CAFÉS

Site protegido por reCAPTCHA e Google Política de privacidade e Termos de serviço aplicados.