Carrinho

Para começar bem o dia ou animar depois do almoço. Para acompanhar uma boa prosa ou harmonizar com um livro em um dia de chuva. Em casa ou no escritório. Na rua, na chuva, ou numa casinha de sapê, é sempre hora e lugar para tomar um bom café. E para cada ocasião é possível escolher uma variedade de café diferente.

Historicamente, o café já foi planta medicinal, já foi sagrado e já foi herege. Hoje, é o melhor companheiro para todos os momentos, seja para se despertar com o poder da cafeína ou para degustar as diferentes nuances de cor, aroma e sabor de cada grão. Em todo o mundo, existem dezenas de variedades de café, sejam do tipo Arábica — de sabor mais suave e complexo — ou do tipo robusta — ideais para os dias de sono e cansaço.

O Brasil é o maior produtor de café do mundo (Minas Gerais sozinho produz mais do que qualquer país), então, por que não aproveitar das nossas terras férteis e clima ameno para conhecer todas as variedades de café que existem? O desafio é grande, já que elas não são poucas, mas também é de dar água na boca!

Que tal conhecer um pouco mais sobre essa vastidão de possibilidades? Continue a leitura e separe a sua xícara preferida enquanto coloca a água para ferver!

1. O que é uma variedade de café?

O café é uma planta originária da Etiópia, no centro da África. Por isso, aqui no Brasil ela é considerada uma espécie exótica, embora tenha se adaptado completamente ao nosso clima tropical. É membro da família das Rubiáceas, do gênero Coffea — se lembrou das aulas de biologia? — e conta com mais de 100 espécies. No entanto, apenas duas delas são cultivadas e comercializadas, a Coffea Arabica e Coffea Canephora (conhecida como Robusta)

Entre essas duas espécies, encontramos os cultivares, que é o nome técnico para o que costumamos chamar, popularmente, de variedades de café. O termo é uma junção aportuguesada de duas palavras em inglês: “cultivated variety”, ou variedade cultivada, em tradução livre. Em sua maioria, elas foram desenvolvidas por melhoramento genético e disseminadas entre os cafeicultores, tudo isso ao longo de várias e várias gerações para chegar ao nosso café indispensável de toda manhã.

2. Quais são as principais espécies de café do Brasil?

Reza a lenda que, ainda na Etiópia, o café foi descoberto por um pastor que notou mudanças nos comportamentos das suas cabras após se alimentarem dos frutos de um arbusto misterioso, de crescimento espontâneo. Com o tempo, a fama das propriedades dessa nova planta se espalhou pelo mundo e ela chegou a ser considerada sagrada pelos monges que aproveitavam do seu poder para passar a noite em vigília.

Cada país aprimorou um pouco mais a forma de consumo e cultivo até que, no século XVIII ela chegou ao Brasil. A primeira muda veio em 1727, pelas mãos do português Francisco de Melo Palheta, que foi até a Guiana Francesa especialmente para buscar essa encomenda. As primeiras safras, no Norte e Nordeste Brasileiro, foram bem remotas mas, algumas décadas depois, a Coffea Arabica começou a ser cultivada no Rio de Janeiro. E, à medida em que o preço internacional das sacas de café subia, seguiu Sudeste afora. Prosperou, primeiro, no Vale da Paraíba e, depois, em Minas Gerais — que hoje é o maior produtor de café de todo o mundo.

Assim, a espécie Arábica hoje é a mais cultivada nas terras brasileiras, representando cerca de 76,4% da produção nacional, enquanto o Café Robusta é responsável por 23,6%.

2.1 Café Arábica

É a espécie mais difundida no Brasil, principalmente no que diz respeito às variedades de café especial, com maior sabor e qualidade. É uma planta de altitude e, por isso, a maior parte do Café Arábica produzido no país se concentra nos estados de São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Bahia e parte do Espírito Santo.

Clique para acessar a loja virtual do Moka Clube.

2.2 Café Robusta

Cultivado principalmente no Espírito Santo e em Rondônia, o Robusta se adapta melhor do que o Arábica nas regiões mais próximas ao nível do mar. É também mais resistente à pragas e doenças. Ele tem um custo de produção bem mais baixo do que e é conhecido, por ter uma qualidade menor. Entretanto, nos últimos anos a produção do Café Robusta tem adotado novas práticas e tecnologias que estão aprimorando o produto e as pesquisas seguem a todo vapor, principalmente nas terras capixabas. Ele é muito utilizado para fabricar o café liofizado, o famoso café solúvel.

3. Quais as diferenças entre Café Arábica e Robusta?

Mulher peneirando os grãos de variedades de café no cafezal.

Dentre tantas variedades de café, o ideal é encontrar a que você mais gosta.

Além das diferenças de terroir e do custo de produção, que já falamos aqui, as duas espécies também apresentam algumas distinções quando se fala em sabor, aroma e intensidade. Isto porque, enquanto no Café Arábica o teor médio de cafeína é de 1,2%, no robusta essa concentração chega a 4%.

Por este motivo, o Café Arábica apresenta sabor e aroma mais suaves, que permitem a criação de variedades de café mais elaboradas. No Brasil, a maioria dos cafés comerciais, mais populares, são feitos a partir de um blend das duas espécies, para diminuir o preço de custo e trazer um pouco das propriedades de cada um. Já os cafés especiais são 100% Arábica.

4. Quais as principais variedades de Café Robusta?

O termo Café Robusta é usado, de forma popular, para agregar as variedades da espécie Coffea canephora. São essenciais para a produção de cafés solúveis e, muitas vezes, misturadas aos grãos 100% arábica para uma produção mais acessível.

Conilon

Uma das variedades mais comuns de Café Robusta no Brasil. É uma bebida encorpada, que pode ter bastante amargor, com o teor de cafeína podendo chegar a 2,37%. É uma planta rústica e bastante resistente.

5. Quais as principais variedades de Café Arábica?

A Coffea Arabica é uma espécie riquíssima em sabor e variabilidade genética, por isso agrupa muitas variedades de café. Neste artigo, vamos citar oito dos principais tipos de café arábica no Brasil.

Confira!

5.1 Mundo Novo

O Mundo Novo é um dos tipos de variedades de café mais requisitados para a produção de cafés especiais. Seus grãos são de altíssima qualidade e propiciam a produção de um café delicioso, com aroma suave e sabor marcante. Além de ser uma bebida muito prazerosa de ser consumida in natura, também é indicada para a preparação de drinks e smoothies de café, harmonizando muito bem com frutas cítricas, como laranja e tangerina.

Como é bastante propenso à ferrugem, o café Mundo Novo precisa receber diversos cuidados especiais, que acabam encarecendo um pouco mais a sua produção.

Como é

Planta alta e vigorosa, pode chegar a ter uma copa expressiva. Os frutos são avermelhados. É muito cultivado nos estados de Minas Gerais e São Paulo.

5.2 Bourbon

Assim como o Mundo Novo, o Bourbon também é um grão muito indicado para a produção de cafés especiais, mas apresenta um sabor um pouco mais suave e adocicado, com uma textura achocolatada e um aroma intenso, daqueles que abrem o apetite para a hora do café.

Para evidenciar todas essas características, é importante ter um cuidado especial com o terroir e garantir o cumprimento técnico correto de todo o processo, incluindo solo, clima, altitude e secagem. Também é uma planta muito sensível a pragas e doenças, por isso tem uma produtividade baixa.

Como é

São plantas altas e cilíndricas que atingem até 3 metros de altura. Os frutos podem ser amarelos ou vermelhos.

5.3 Laurina

Em 2018, o café coado vencedor do World Brewers Cup 2018, que aconteceu em Belo Horizonte, foi preparado com grãos do Laurina, que também é conhecido como “Frevo” nas lavouras brasileiras. Essa variedade exótica é um pouco mais suave do que suas irmãs e tem baixo teor de cafeína, cerca de metade dos outros tipos de café.

Essa variedade também tem um sabor bastante complexo e agradável. Por isso, a Laurina recebe muita atenção dos especialistas e pesquisadores, que seguem em busca de um café descafeinado de alta qualidade.

Como é

De porte médio a baixo e forma cônica, o pé do café Laurina é bastante ramificado, ramificação densa, com frutos pequenos, vermelhos e afiados.

5.4 Catuaí

Pacotes de diferentes variedades de café do Moka.

No Moka Clube, você encontra variedades de café para agradar seu paladar.

Um dos grãos de café mais cultivados no Brasil, Catuaí é a variedade mais indicada para aqueles que preferem o café sem açúcar, porque é uma bebida leve e suave em acidez. Isto não quer dizer, entretanto, que seja fraca em sabor. Por ser cultivada em altitude, o grão pode absorver com mais intensidade os açúcares naturais, o que proporciona um sabor bem acentuado. Quanto mais alta a plantação, mais saboroso é o Catuaí.

O Catuaí tem ainda duas ‘subvariedades’, o Catuaí Amarelo e o Catuaí Vermelho, ambos com pouquíssimas diferenciações de sabor e aroma. No entanto, a versão amarela pode ser um pouco menos encorpada, de modo que é bem comum encontrar blends entre as duas cores.

Como é

O porte baixo da planta facilita a manutenção e a colheita dos frutos amarelos e vermelhos. A planta também é bem resistente ao fungo ferrugem, de modo que se torna uma opção bastante viável para os cafeicultores.

5.5 Acaiá

Quem procura por um café suave, bastante aromático e com notas frutadas não pode deixar de experimentar o Acaiá. Essa variedade de café tem, ainda, um sabor achocolatado e acidez média. Por isso, para conseguir uma bebida mais encorpada e de sabor intenso, muitos cafeicultores optam por misturar o Acaiá com o Bourbon.

Como é

A planta do café Acaiá é de porte alto, mas não tanto quanto a Mundo Novo. Seus frutos são vermelhos e de maturação tardia.

5.6 Topázio

A variedade de Café Topázio é resultado do cruzamento entre os grãos de café Mundo Novo e Catuaí Amarelo. Assim como o Mundo Novo, é um café extremamente saboroso, suave e complexo. Tudo isso, no entanto, com uma resistência bem maior, assim como o Catuaí Amarelo, o que faz com que seu plantio seja estável e abundante.

Com notas cítricas e perfumadas, também é muito indicado para o preparo de drinks e cafés gelados.

5.7 Icatu

O grão Icatu é uma excelente opção para café expresso, por ser muito encorpado. Também pode ser subdividida em Icatu Vermelho, Icatu Amarelo e Icatu Precoce (de maturação mais rápida). Essa variedade resulta de cruzamentos entre grãos Bourbon e Mundo Novo. É uma bebida de alta qualidade, com notas frutadas e boa acidez.

Como é

De porte alto e vigoroso, é uma planta com moderada resistência à ferrugem. Os frutos podem ser vermelhos ou amarelos.

5.8 Caturra

A variedade de café Caturra se assemelha muito ao Bourbon, tanto que muitos especialistas defendem que ela é resultado de uma mutação da primeira. Pode ser encontrado tanto como Caturra Vermelho, como Caturra Amarelo.

Como é

De porte mais reduzido do que a originária Bourbon, o pé de café Caturra é bastante suscetível a pragas. De copa cilíndrica e frutos vermelhos ou amarelos, é uma planta de fácil manejo.

6. Qual a melhor variedade de café?

Como você pode ver, cada grão de café tem características únicas, sendo ele Arábica ou Robusta. Enquanto as variedades de café Arábica são utilizadas para a produção de cafés especiais deliciosos, os tipos de café Robusta são cada dia mais aprimorados e são essenciais para os cafés liofizados. Além das variedades que mostramos aqui, ainda existem tantas outras ao longo do país e do mundo, como dizer então, qual seria a melhor?

A resposta dessa pergunta é muito pessoal. Você gosta mais de café com muito ou pouco amargor? É daqueles que recusam o açúcar? Está querendo diminuir a cafeína? Quer mais praticidade? Ou quer uma boa opção para os drinks do verão?

A solução para saber quais são as melhores variedades de café para você é uma só: degustar! E muito! Então, aproveite para conhecer um pouco mais sobre o mundo do café com a gente e acesse o site do Moka para conferir diferentes variedades de café!

Clique na imagem e acesse a loja virtual do Moka.

Moka Clube

Moka Clube

Nós garimpamos, nós torramos, nós embalamos; o carteiro cheiroso te entrega, você delira.